segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Eu, Leão.


"Eu, leão, todo emoção, cheio de razão.
Eu posso, eu faço, eu aconteço.
Tá com medo? Vem cá, repousa na minha a tua mão.
Encosta no meu ombro, descansa no meu regaço,
que meu colo é porto onde acolho os amigos,
aqueço seu frio, ilumino suas sombras.
Eu, leão, dono de mim.
Cheio de razão, eu, leão.
Posso, faço, aconteço.
Protejo, guardo, revolvo segredos,
removo montanhas, resolvo problemas.
Eu, leão.
Dono de mim.
Eu, felino, cheio de graça, de raça, de manha.
Eu, Leão.
E meus medos, minha frágil essência, minhas dúvidas...
Ah... esses, escondo.
Porque sou leão, sou rei, soberano, sou sábio, sou.
E não me exponho.
Eu, leão.
Fragilidade pura e absoluta.
E só quem quem permito penetrar minha couraça,
quem vê sob a aparência é que percebe o quanto preciso de colo,
o quanto busco abrigo, o quanto...
eu, leão."

2 comentários:

Paulinha Fernandes disse...

É, você, Leão...

Maya disse...

Essa poesia é você, leão.

;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...